Pesquisa mostra como anda a atividade dos médicos no meio da pandemia...

A H2H|Perception realizou uma pesquisa com médicos, baseados principalmente em São Paulo, para entender como anda a atividade desses profissionais no meio da pandemia. Todos eles atuam em consultório, ou seja, não estão necessariamente na linha de frente do combate à pandemia.

Assim como a população, os médicos estão preocupados com o coronavírus: 65% deles se dizem ansiosos (este índice é de 72% entre consumidores). Seu volume de atendimentos, que antes era de aproximadamente 200 pacientes por mês, reduziu-se significativamente: 93% dos profissionais relatam diminuição, e esta é, em média, de 55%. Isso apesar de os consultórios estarem abertos na sua quase totalidade – 97% deles continuam funcionando.

Entretanto, a expectativa é que em 6 meses o volume volte ao normal para 53% deles. Os não especialistas (clínicos gerais, pediatras e ginecos) são mais otimistas; 63% destes esperam que o volume aumente nos próximos meses, devido à demanda reprimida.
Quando perguntados sobre o que mudará na sua prática após a crise, 35% esperam que não haja mudanças, mas 37% apostam na telemedicina. Assim como em outras esferas, as tendências possivelmente serão aceleradas pela crise.

Pesquisa telefônica realizada em abril e maio de 2020 com 110 médicos, incluindo clínicos gerais, pediatras, ginecologistas, neurologistas, cardiologistas, oncologistas e reumatologistas.

Fabio DRIGO

É Psicanalista, Pesquisador de comportamento de consumo, Especialista em comunicação social e em construção de subjetividade. 30 anos de experiência no segmento ético.

Rodrigo TONI

General Manager

Foi CEO Regional Sudeste Asiático e CEO IPSOS Brasil. Trabalhou na RI/TNS, Nielsen e outras. Especializado em Management no IESE (Espanha) e INSEAD (Cingapura). Especializado em Survey Methodology, SRC, University of Michigan (EUA). Cientista Social (USP) e Engenheiro Agrônomo (USP).